AL- Vacina que volta

Ministra da Agricultura visita região de SC afetada pela estiagem

Por Redação em 13/01/2022 às 13:36:03

Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, o prejuízo no cultivo do milho pode ser de R$ 1 bilhão por conta dos efeitos da seca. Ministra da Agricultura esteve em propriedades rurais afetadas pela estiagem em Chapecó

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, visitou na quarta-feira (12) uma das propriedades rurais afetadas pela falta de chuva em Chapecó, no Oeste catarinense.

Ao menos 70 municípios catarinenses estão em situação de seca severa, e dez em extrema. Durante a visita, não foi anunciada nenhuma ação efetiva do governo federal para mitigar os efeitos da estiagem.

A ministra chegou a cidade por volta das 14h30 e do aeroporto seguiu direto para a propriedade rural na comunidade de Rodeio Bonito.

Durante a visita a ministra avaliou as perdas agrícolas em função da seca, entre elas os impactos da estiagem na cultura de milho da região. Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), o prejuízo no cultivo do grão pode ser de R$ 1 bilhão.

"Eu vim muito mais para ouvir e ver [a situação da estiagem]. Trouxe comigo uma equipe do Ministério da Agricultura para que a gente possa ouvir, traçar o que vamos poder ajudar. Montamos um comitê de acompanhamento sobre a estiagem e vamos trazer o que o Governo [Federal] pode fazer em conjunto para ajudar a produção brasileira", disse a ministra.

A última estimativa de perda agrícola em Santa Catarina com a seca nas regiões mais atingidas é de receita superior a R$ 1,5 bilhão. Sem ações imediatas previstas, Tereza Cristina pretende levar a Brasília um diagnóstico da situação para elaborar soluções conjuntas com estados e municípios.

Também foi realizado um encontro entre as autoridades presentes, estavam o governador Carlos Moisés, a vice-governadora Daniela Reinehr, os senadores Esperidião Amin e Jorginho Mello, e o secretário de Agricultura, Altair Silva. Dezenas de parlamentares, prefeitos e lideranças do agronegócio também acompanharam o evento realizado no Centro de Eventos Plínio de Nes.

Após a passagem pelo estado, a ministra visitou a cidade de Santo Angelo, no Rio Grande do Sul. A visita a Chapecó faz parte de uma agenda de viagens a regiões afetadas pela estiagem. Nesta quinta-feira (13), a ministra deve visitar cidades do Paraná e do Mato Grosso do Sul.

O secretário de Estado da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural, Altair Silva, também esteve no encontro com a ministra.

"A ministra pôde ouvir e receber pautas da nossa entidade. Avançamos com ela em pontos interessantes. Um deles a questão do Pró agro", avaliou o secretário.

No encontro, o governo estadual divulgou as ações sobre o investimento de ao menos R$ 350 milhões até o fim do próximo ano em medidas de resiliência hídrica. Neste ano, o programa" SC Mais Solo e Água" destinará R$ 150 milhões aos produtores rurais, subsidiando a instalação de cisternas, poços artesianos, entre outras medidas.

De forma emergencial a pasta está reconhecendo os decretos de emergência dos municípios e liberando as lavouras o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), que garante a exoneração de obrigações financeiras relativas a operação de crédito rural de custeio, em que a liquidação seja dificultada pela ocorrência de fenômenos naturais, pragas e doenças que atinjam rebanhos e plantações, na forma estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional.

Ao menos 18 estações hidrológicas de Santa Catarina estão em situação de alerta ou emergência, segundo os dados do boletim da Epagri/Ciram, que faz o acompanhamento nas bacias e complexos do estado, divulgados na manhã destas quinta-feira (13).

Em situação de emergência estão estações nos municípios de Guaraciaba, Mondaí, Romelândia, Curitibanos, Canoinhas, Alfredo Wagner, Chapadão do Lageado, São João Batista, Coronel Freitas, Pinhalzinho, Saudades, São Carlos, Joaçaba, Concórdia e Itapiranga.

Fonte: G1

Comunicar erro
AL- Fake News - Vacinas

Comentários