Cana-de-açúcar: indústrias aquecem mercado de trabalho em MG

Por Redação em 13/02/2024 às 09:47:45

A Bioenergética Aroeira está contratando cerca de 350 pessoas para cargos de todos os níveis em seu complexo em Tupaciguara, no Triângulo Mineiro. A Usina Coruripe, uma das maiores empresas do setor sucroenergético no país, contrata neste início de ano 100 pessoas para atuar nas unidades de Campo Florido, Carneirinho, Iturama e Limeira do Oeste, também no Triângulo Mineiro. Esses são alguns exemplos de empresas do setor sucroenergético que pretendem ampliar operações e seus quadros de funcionários.

De acordo com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, o setor de cana-de-açúcar ampliou em 20% as contratações em Minas Gerais em 2023, totalizando a abertura de 540 postos de trabalho com carteira assinada. Para este ano, a expectativa é de geração de novas vagas, graças a investimentos em ampliação da produção de açúcar, álcool, energia e novos usos dos subprodutos da cana-de-açúcar.

"O clima foi extremamente favorável à safra de cana-de-açúcar no ano passado, contribuindo para a safra que deve ser recorde no Estado, chegando a 82,5 milhões de toneladas", afirmou o subsecretário de política e economia agropecuária da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Caio César Coimbra, citando estimativa mais recente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Esse volume equivale a um crescimento de 12,6% em relação à safra anterior.

Com esse desempenho, Minas Gerais passou Goiás e tornou-se o segundo Estado em produção de cana-de-açúcar, atrás de São Paulo.

Coimbra observou que as próximas safras tendem a ser maiores. Isso porque um grupo de 12 empresas do setor sucroenergético anunciou no fim do ano passado investimentos para Minas Gerais de R$ 11,3 bilhões, com expectativa de geração de 1,6 mil postos de trabalho diretos, especialmente na região do Triângulo Mineiro.

Os investimentos são voltados principalmente a projetos que vão ampliar a produção de açúcar e etanol, produzir biometano.

Projeções

Em Minas Gerais, a cana-de-açúcar é o terceiro produto agrícola em geração de valor, com valor bruto da produção de R$ 13,8 bilhões, em 2023, e crescimento de 17,2% em relação ao ano anterior. À frente estão café, com R$ 27,5 bilhões, e a soja, com R$ 18,9 bilhões. Da produção total no Estado, 68% é concentrada no Triângulo Mineiro.

As perspectivas para a região são promissoras. Neste ano, o Triângulo Mineiro inaugura a sua primeira usina de biometano, obtido a partir da vinhaça, resíduo da cana. A planta fabril começou a ser instalada em outubro de 2022 em Tupaciguara (MG), com investimento inicial de R$ 30 milhões pela ZEG Biogás.

A unidade terá capacidade de 4 milhões de metros cúbicos de biometano por ano e tem previsão de iniciar as vendas do biocombustível a partir de abril. O projeto pode ser expandido para até 16 milhões de metros cúbicos anuais, com aporte total de R$ 120 milhões.

O biometano será usado como combustível na frota agrícola da usina da Bioenergética Aroeira, em substituição ao diesel.

A Bioenergética Aroeira fez no ano passado a moagem de 3,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e a expectativa para a safra 2024/25 é atingir 4 milhões de toneladas de cana moída. Para fazer frente a essa ampliação, a companhia está com 350 vagas de trabalho abertas, em diversos níveis hierárquicos.

"O mercado está aquecido e temos o desafio atual de encontrar mão de obra qualificada", afirmou a gerente de gestão de gente e cultura Bioenergética Aroeira, Roberta Campos Neto. A gestora disse que a Aroeira contratou no ano passado a Korn Ferry para o programa de desenvolvimento de líderes.

Neste ano, o treinamento será estendido até a liderança de campo para disseminar a cultura organizacional buscando a atração e a retenção de talentos. A empresa também fomenta a formação das equipes concedendo bolsas parciais para os funcionários fazerem cursos técnicos e de graduação, além de treinamentos técnicos, operacionais e comportamentais.

A Usina Coruripe abriu 100 vagas de emprego em diversas funções, para atuar nas unidades de Campo Florido, Carneirinho, Iturama e Limeira do Oeste, no Triângulo Mineiro. A companhia está investindo R$ 400 milhões na expansão da sua unidade em Limeira do Oeste. A implantação de uma nova linha de produção de açúcar VHP vai permitir ampliar a moagem de 1,5 milhão para 2,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano e aumentar a produção de açúcar VHP em 187 mil toneladas.

A Secretaria de Agricultura acrescentou que os investimentos do setor sucroenergético em Minas também englobam novos usos para subprodutos da cana-de-açúcar.

Um exemplo é a produção de fertilizantes organominerais e biológicos a partir de resíduos da cana-de-açúcar. A Agrion Fertilizantes em parceria com a Bioenergética Aroeira inaugurou em novembro de 2023 uma fábrica em Tupaciguara, com capacidade para produzir até 60 mil toneladas por ano de fertilizantes. O projeto custou R$ 30 milhões.

Fonte: Globo Rural

Comunicar erro

Comentários

Acomp Gyn - Goiania