Coronavirus 728x90

Safra da soja teve prejuízos de 45% devido a estiagem neste ano, afirma Emater

Por Redação em 22/05/2020 às 22:41:39


Números foram divulgados nesta sexta-feira (22). Cultura do milho reduziu em cerca de 30% e o feij√£o, 14%. Estiagem prejudicou planta√ß√Ķes de soja do RS

Reprocução/RBS TV

A Empresa de Assistência Técnica e Extens√£o Rural (Emater) do Rio Grande do Sul apresentou nesta sexta-feira (22) os números da safra dos gr√£os de ver√£o 2019/2020 e os impactos da estiagem nas culturas de gr√£os do estado.

"A estiagem foi uma estiagem severa, e teve os reflexos. Tivemos uma perda consider√°vel na produ√ß√£o. Só n√£o foi mais significativa, porque temos uma cesta de produtos, que como o próprio nome diz, onde o arroz irrigado deu uma segurada" afirma o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Paulo Rugeri.

Segundo o levantamento, o estado teve uma queda de 45,8% na produ√ß√£o de soja. Com a expectativa de 19,7 milh√Ķes de toneladas, a produ√ß√£o foi de 10,6 milh√Ķes. A regi√£o da metade sul do estado foi a mais afetada.

"Tivemos um cen√°rio bem diferente na regi√£o da metade sul. É a mais vulner√°vel em termos de produ√ß√£o, onde tivemos as maiores perdas", aponta o diretor.

Na cultura do milho, houve um aumento de 1,5%, em torno de dois mil hectares, mas a produção caiu 30,9%, o que significa 1,8 milhão toneladas a menos do que o estimado.

Nas planta√ß√Ķes de arroz, houve uma redu√ß√£o de 1,8% na √°rea com rela√ß√£o à expectativa inicial, mas, na produ√ß√£o houve um aumento de 0,9% comparado ao que se esperava. Foram produzidos pouco mais de 7.581 milh√Ķes de toneladas e estava se esperando 7.510. O feij√£o apresentou uma redu√ß√£o de 14% na produ√ß√£o.

"S√£o em torno de oito milh√Ķes de hectares de milho, soja, arroz irrigado. Destes, a soja tem seis milh√Ķes. As outras culturas tem uma representa√ß√£o bem menor. Tudo que falar de soja é grande em rela√ß√£o as outras culturas. Por isso a soja teve esse grande impacto em termos de redu√ß√£o de produ√ß√£o. Em fun√ß√£o do que representa a soja", explica Alencar.

Além disso, o diretor da Emater explica que as culturas tem tempos de desenvolvimentos diferentes, e a seca no estado acabou impactando a soja na época de maior fraqueza do gr√£o.

"As culturas tem todo um desenvolvimento uma a√ß√£o analógica, demora. A soja teve a estiagem que a atingiu em cheio na fase vulner√°vel. Quando a estiagem come√ßou, o milho j√° estava quase terminando essa fase vulner√°vel. A soja teve dois fatores: é a maior √°rea e essa quest√£o que a estiagem pegou no período mais crítico, quando onde foi mais severa era quando estava mais vulner√°vel."

Quebra de safra

No panorama geral, a quebra da safra de ver√£o 2019/2020 foi 28,7% a menos do que a safra do período em 2018/2019. Caiu de 31,4 milh√Ķes de toneladas para 22,4 milh√Ķes de toneladas.

"Agora est√£o sendo feitas a√ß√Ķes emergenciais, como abertura de po√ßos e fontes. N√£o é nada que interfira no sistema de produ√ß√£o, onde tem que ter planejamento. Tudo que for fazer, s√£o paliativos para minimizar os impactos da estiagem", diz Alencar.

O diretor aponta que a estiagem possui dois perfis, nos quais os dois afetaram o estado na safra de ver√£o.

"O econômico, que atingiu em cheio a soja e o milho e o perfil de necessidade b√°sica, que é a falta da √°gua para consumo, √°gua para os animais. Se n√£o tiver √°gua amanh√£, vou perder animais. Saímos de uma estiagem econômica, para uma estiagem de necessidade b√°sica, que n√£o tinha mais √°gua para animais. Tomara que estejamos falando de um final da estiagem."

Conforme a Defesa Civil do RS, 395 municípios decretaram situa√ß√£o de emergência em fun√ß√£o da estiagem até esta sexta-feira (22).

Fonte: G1

InfoJud 728x90

Coment√°rios