Agrobrasília terá recorde de expositores e foco em inovação

Por Redação em 20/05/2024 às 07:32:59

Começa nesta terça-feira (21/5) a 15ª edição da Agrobrasília, feira de agronegócios e inovações tecnológicas para o campo, realizada na área rural do Distrito Federal. O evento terá número recorde de expositores. São 592 empresas, bancos e instituições espalhados pelo Parque Ivaldo Cenci, a 60 quilômetros da capital federal, com máquinas, equipamentos, insumos e tecnologias para atender pequenos, médios e grandes produtores do Planalto Central.

Os organizadores não têm uma estimativa oficial do volume de negócios que deverão ser gerados na feira. Em 2023, a Agrobrasília movimentou R$ 4,8 bilhões e recebeu 175 mil visitantes. Agora, o recuo nos preços de algumas máquinas agrícolas e as incertezas no mercado deixam dúvidas se essa cifra será atingida novamente.

"Esperamos um grande público e nos negócios temos uma dúvida, como todo mundo tem, mas a expectativa é grande. Sentimos que os bancos, que viabilizam as aquisições, estão se mobilizando e vindo com força", disse José Guilherme Brenner, presidente da Agrobrasília e da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), organizadora da feira. O evento vai até sábado (25/5).

O cenário de preços das commodities mudou em relação ao ano passado, e pode ser um fator positivo para os negócios. "No ano passado, saímos de um preço maior e durante a feira o preço foi caindo. Quase que a mínima foi atingida durante a feira. Neste ano está sendo o contrário. A mínima foi anterior, entre janeiro e fevereiro, e temos visto uma recuperação dos preços", apontou.

Investimentos

A região não foi tão impactada pelo clima como outros Estados do país e a safra de grãos deste ano teve rendimento dentro da normalidade, segundo Brenner. O momento pode ser favorável para quem quer ou precisa renovar o parque de máquinas.

"É lógico que o ambiente otimista ajuda tudo, mas talvez seja uma oportunidade para o produtor buscar um equipamento que esteja com um preço já com desconto e pagar em um momento melhor, com prazo de seis ou sete anos", completou.

A Agrobrasília se consolidou por atender os mais variados públicos de produtores e ser um retrato da diversidade da região do Planalto Central. A feira contempla desde o empresário rural, que busca máquinas de grande porte e outros investimentos, ao médio agricultor, que se atualiza das novidades do mercado e negocia insumos para a próxima safra, até o agricultor familiar, que encontra uma variedade de informações para incrementar a renda na sua atividade.

Novidades

Uma das novidades desta edição será o Pavilhão da Inovação, uma parceria da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e da empresa Solubio, líder em soluções para manejo biológico on farm. O espaço vai receber 29 startups do DF e Entorno e nove empresas. Haverá rodadas de conversas e apresentação das tecnologias.

"Costumamos dizer que a inovação é ter um produto de prateleira, mas não é. Inovação é o agricultor usar o produto que estava na prateleira, que foi desenvolvido numa unidade de pesquisa e produzido por uma empresa. É importante que todos os setores estejam interligados", disse Rose Monnerat, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Solubio e ex-pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para o presidente da feira e da Coopa-DF, José Guilherme Brenner, o pavilhão também é uma oportunidade para investidores conhecerem as ideias das startups. "Vamos ter coisas interessantes. Vão ter os pitches de apresentação de produtos das empresas e pode ser oportunidade para um investidor entrar em um negócio", avaliou.

Uma das novidades que os produtores poderão conferir na Agrobrasília é a tecnologia de telemetria para a irrigação por pivô central. Um sistema desenvolvido por dois anos e lançado há quatro meses pela Cerrado Verde permite ao agricultor programar e automatizar as operações de irrigação das fazendas em um painel.

Os comandos também podem ser feitos à distância, com uso de mecanismos como Alexa ou Google Home. Os contatos de WhatsApp cadastrados no sistema recebem alertas e relatórios automáticos a partir do acionamento dos pivôs. A tecnologia também entrega dados sobre o consumo da água e a potência de energia elétrica que está chegando ao equipamento.

"Posso ter um pivô lá em Roraima e aqui de Brasília fazer todo o comando. Não tem distância e o sistema é adaptável a qualquer marca de pivô e tamanho", disse José Américo de Miranda, diretor da empresa. "A tecnologia vai facilitar e muito a vida do produtor rural, porque ele vai saber a quantidade de água que jogou na lavoura, se o pivô deu problema ou não, vai ter informação contínua da máquina dele", acrescentou.

Uma empresa de multiplicação de sementes de soja, milho, feijão, trigo e sorgo de Unaí (MG) já adquiriu nove equipamentos. A tecnologia custa R$ 3 mil para adesão mais a anuidade de R$ 1,5 mil. Para funcionar, precisa de um ponto de internet Wi-Fi no pivô.

Solidariedade

A 15ª edição da feira será comemorativa, mas também dará espaço para a solidariedade. Com entrada franca, o evento vai adotar o ingresso solidário para quem quiser fazer doações em dinheiro, via pix, para ajudar as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul. Os valores arrecadados serão repassados a cooperativas agropecuárias e produtores rurais gaúchos, disse Brenner.

"A feira é gratuita, nosso intuito é que as pessoas venham e que a entrada não seja um limitante, mas vamos ter totens nas entradas com um QR Code para quem quiser fazer doação. A origem de muitos dos nossos cooperados é do Sul, inclusive de regiões que foram muito afetadas pelas enchentes", disse Brenner.

"Queremos fazer uma ajuda para essas cooperativas, para esses produtores rurais. Às vezes, as ajudas estão muito focadas nas cidades, na capital, e nós temos que fazer ajuda para nossos colegas do interior, os produtores rurais", completou.

Fonte: Globo Rural

Comunicar erro

Comentários

Acomp Gyn - Goiania