Na abertura da Agrobalsas, Fávaro destaca ações para a prorrogação de dívidas em decorrência de eventos climáticos

Por Redação em 14/05/2024 às 08:17:30

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, participou nesta segunda-feira (13) da abertura da 20ª edição da Feira Agropecuária de Balsas – AgroBalsas, maior evento de agronegócio no estado do Maranhão.

Na ocasião, Fávaro enfatizou a ação do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), apoiada pelo Ministério da Fazenda (MF), e aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para a possibilidade de prorrogação dos investimentos e dos custeios daqueles produtores que foram atingidos por eventos climáticos ou por queda de preços. O ministro também tratou sobre a diversificação das linhas de crédito com mais recursos e da linha dolarizada com taxas de juros mais barata para os produtores que têm um hedge natural. "Teremos linhas de crédito atrativas para continuar expandindo, gerando mais empregos, mais oportunidades, mas com preservação ambiental", afirmou ele.

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2022, a principal produção agrícola do estado é soja, milho em grão e cana-de-açúcar. Já na pecuária, no ranking de produção estão galináceos, bovinos e suínos. Os dados são da Produção Agrícola Municipal (PAM) e da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM).

Ainda durante seu discurso, Fávaro destacou a modernização logística da região do Maranhão e do Matopiba realizada em conjunto com o Ministério dos Transportes. "O ministro Renan Filho, por determinação do presidente Lula, faz o maior programa de aceleração do crescimento da história do Brasil, investindo em infraestrutura rodoviária, ferroviária e até hidroviária, para que nós possamos chegar aos portos, aos pontos consumidores com as nossas commodities, com valor agregado e com logística mais barata", ressaltou ele.

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Fapcen) é a realizadora da Agrobalsas. Na abertura, o presidente, Paulo Kreling, destacou que a região tem um grande potencial de crescimento agrícola, produzindo com responsabilidade e sustentabilidade.

Durante o evento, 35 produtores do Maranhão e do Piauí receberam o Selo Sustentabilidade e o Certificado com o padrão de produção de soja responsável (RTRS).

Para receber o certificado os produtores cumprem 108 indicadores, sendo o desmatamento zero é um dos requisitos. O documento comprova que as propriedades atendem as demandas e tendências do mercado e da sociedade, fazendo com que todo processo tenha o menor impacto socioambiental possível, assegurando melhores resultados financeiros ao produtor e possibilitando melhorias na gestão da propriedade e nas práticas agrícolas, minimizando riscos de incidentes, de multas e de autuações por parte dos órgãos ambientais e trabalhistas.

O governador do estado do Maranhão, Carlos Brandão, evidenciou o crescimento da região com o apoio e investimentos do governo federal. "Cada ano que passa a gente vê mais equipamentos, mais máquinas, mais concessionária. É mais geração de renda e emprego para Balsas", disse Brandão.

Integraram a comitiva o coordenador gerais de Apoio às Superintendências do Mapa, Raul Amaducci; o superintendente Federal de Agricultura no Maranhão, Wellington Reis; o presidente do Banco da Amazônia, Luiz Cláudio Lessa; a desembargadora do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Daniele Costa; além de senadores e deputados federais.

FEIRA MARANHENSE

Na edição 2024, o tema escolhido é "O milagre no cerrado". O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul e do Brasil.

Entre os dias 13 e 18 de maio, os visitantes terão a oportunidade de conhecer ferramentas para prospecção do desenvolvimento regional, com inovação, transferência de informações nacionais e internacionais e tecnologia avançada.

De acordo com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Fapcen), em 2023 a feira gerou 6,2 bilhões negócios, com 2824 marcas expostas para um público de aproximadamente 100 mil visitantes.

O lugar reúne, anualmente, produtores rurais, pecuaristas, empresários, instituições, educadores, estudantes, comércio varejistas e prestadores de serviços.

Fonte: MAPA

Comunicar erro

Comentários