AL- Vacina que volta

Preço sobe em 20 estados e no DF na semana; média nacional avança 3,92% e supera R$ 5/litro

Por Redação em 04/11/2021 às 09:08:04

Os pre├žos médios do etanol hidratado subiram em 20 Estados e no Distrito Federal na semana entre 24 e 30 de outubro, de acordo com levantamento da Ag├¬ncia Nacional do Petróleo, G├ís Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em outros 5 Estados, os pre├žos recuaram, enquanto no Amap├í n├úo houve mudan├ža na cota├ž├úo. Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o pre├žo médio do etanol subiu 3,92% na semana em rela├ž├úo à anterior, de R$ 4,875 para R$ 5,066 o litro.

O biocombustível tem avan├žado em decorr├¬ncia da quebra de safra de cana-de-a├žúcar no Brasil - até a primeira quinzena de outubro, a moagem no Centro-Sul recuou 9,56% no acumulado da temporada 2021/22, e a produ├ž├úo de etanol hidratado caiu 17,93% na mesma compara├ž├úo, segundo dados da Uni├úo da Indústria de Cana-de-A├žúcar (Unica). Agora, a regi├úo se encaminha para período de entressafra, quando os pre├žos tendem a subir ainda mais. Além disso, o etanol acompanha a gasolina, que vem se valorizando após reajustes da Petrobras.

Em S├úo Paulo, principal Estado produtor, consumidor e com mais postos avaliados, a cota├ž├úo média do hidratado ficou em R$ 4,876 o litro, alta de 4,01% ante a semana anterior.

O pre├žo mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 4,18 o litro, em S├úo Paulo, e o menor pre├žo médio estadual, de R$ 4,876, foi registrado também em S├úo Paulo. O pre├žo m├íximo, de R$ 7,399 o litro, foi verificado em um posto do Rio Grande do Sul. O maior pre├žo médio estadual também foi o do Rio Grande do Sul, de R$ 6,464.

Na compara├ž├úo mensal, o pre├žo médio do biocombustível no País subiu 7,44%. O Estado com maior alta no período foi Minas Gerais, onde o litro subiu 9,10% no m├¬s. Na apura├ž├úo semanal, a maior alta de pre├žo foi observada na Bahia, com avan├žo de 6,73%, para R$ 5,410 o litro.


Fonte: Estadão

Comunicar erro
AL- Fake News - Vacinas

Comentários