Faz parte do nosso papel

Importação brasileira cai 37% em abril ante abril de 2020, mas preço médio sobe 25%

Por Redação em 14/05/2021 às 09:05:21

O Brasil importou 467,26 mil toneladas de trigo em abril, com desembolso de US$ 125,68 milhões, de acordo com dados do Agrostat (sistema de estatísticas de comércio exterior do agronegócio brasileiro). Do volume total, 433,49 mil toneladas foram de cereal argentino.

A maior parte deste volume é referente a contratos fechados nos primeiros meses do ano, segundo operadores que trabalham com importação do cereal. A aquisição de novos lotes de trigo importado pela indústria moageira brasileira evoluiu pouco no último mês, em virtude do arrefecimento nas vendas de farinha.

Na comparação com o montante adquirido pelo País em igual mês do ano passado, de 747,72 mil toneladas, o volume foi 37,5% menor. O valor desembolsado com as compras do cereal foi 22% inferior em relação aos US$ 160,32 milhões gastos em abril do ano passado. Já o preço médio do trigo importado avançou 25%, passando de US$ 214,41 por tonelada em abril de 2020 para US$ 268,96 por tonelada no último mês - números que refletem a desvalorização do dólar ante o real e a elevação da cotação do trigo na moeda norte-americana.

Nos primeiros quatro meses deste ano, moinhos brasileiros compraram 2,172 milhões de toneladas de cereal do exterior, 16% a menos que em igual período do ano passado. O valor desembolsado com a importação do produto, contudo, foi 3% superior, no total de US$ 551,59 milhões. Em ambos os anos, o cereal argentino predominou entre as origens.

Oferta e demanda mundial - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu a sua estimativa para importação brasileira de trigo na safra 2020/21 de 6,70 milhões de toneladas para 6,60 milhões de toneladas. Quanto à produção de trigo no País, a agência manteve a previsão de 6,25 milhões de toneladas. Para a safra 2021/22, que está sendo plantada no Brasil, o USDA projeta importação e produção brasileiras em 6,80 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados ontem no relatório mensal de oferta e demanda do USDA.

Para a Argentina, principal fornecedor de trigo para o Brasil, o USDA reduziu a estimativa para vendas externas da safra 2020/21 de 11,50 milhões de toneladas para 10,50 milhões de toneladas. A expectativa de produção foi mantida em 17,63 milhões de toneladas. Em relação à temporada 2021/22, o USDA projeta exportação argentina de 13,50 milhões de toneladas e produção de 20,50 milhões de toneladas.


Fonte: Estadão

Comunicar erro
AL- Fake News - Vacinas

Comentários